quarta-feira, 2 de junho de 2010

Perdido

Algo está mal comigo. Sinto-me a perder o rumo da minha vida. O controlo do meu percurso.
Ou melhor, já o perdi. Só não sei onde foi, e agora não consigo voltar atrás ao ponto da perda e corrigir o rumo.

Já não tenho a energia para pegar em mim e corrigir-me. Sei que estou mal orientado, mas não consigo alcançar a genica necessária, aquela força de vontade para reagir.
Sinto-me perpetuamente cansado. Aos 30s, parece-me que já vivi toda uma vida de aborrecimento e nada mais me interessa. Parece que a flor da idade já passou por mim e murchou. Como se o tempo que me resta para viver, reagir e fazer de mim outro eu, fosse já tão pouco que não merecesse o esforço.
"Para quê?", interrogo-me eu todo o dia. E vejo a vida a passar-me em frente ao olhar, e não tenho nem a vontade de pegar nela e reagir. Na verdade parece-me que já morri e limito-me a continuar assim, espectador.

Nas noites que guio por aí, para cortar a brisa noctura, acelero ao limite do carro, e penso o que se seria, se algo acontecesse que me deixasse finalmente em paz.

Sou uma alma torturada, é isso! Uma alma torturada.

4 comentários:

pinguim disse...

Nada pior do que o abandono de ideais ou pelo menos de simples entusiasmos; há que reagir e quando o não conseguimos sozinhos, não devemos hesitar em pedir ajuda; afinal para que servem os amigos?
A minha disponibilidade é total...

Blog Liker disse...

Em primeiro lugar, estás a precisar de um valente puxão de orelhas, sobretudo pela parte do automóvel! Não te conheço pessoalmente, apenas sei que se chamas Pedro, mas tenho de te colocar juízo nessa tola! :P

Passando a parte do ralhete (LOL), essa sensação de repetição não é única ou exclusiva; eu próprio já a senti em muitas ocasiões.

Só temos é de encontrar as melhores formas de a preencher. Mas isso não se preenche certamente a andares de automóvel por aí desalmadamente.

Se precisares de ajuda, não tem mal nenhum pedi-la. E a blogoesfera está à tua disposição.

Abraço.

Pedro disse...

Pinguim - Obrigado pela tua disponibilidade. Mas é complicado recorrer a alguém quando eu próprio não percebo muito bem o que se passa comigo.
Abraço.


Blog Liker - Fizeste-me sorrir com o ralhete. Senti-me pequeno de novo:) Tens razão, não é assim que se preenche o que preciso de preencher.
Obrigado pelo teu comentário e palavras simpáticas.
Um abraço.

Blog Liker disse...

Ainda bem que te fiz sorrir. É o que estás a precisar... Agora só é preciso que, numa situação idêntica, te lembres que há por aqui um chato a ralhar! Abraço.