domingo, 6 de junho de 2010

Ridículo

Não consigo parar. Queria tanto pegar num livro para o ler mas não sou capaz. O resíduo emocional é por demais elevado. Estou sempre em tensão. Se pegar no livro, não passo da primeira página. Assim que ler uma palavra, a minha cabeça dispara em pensamentos, em divagações e não vou a lado nenhum. Nem com o livro nem com a minha cabeça.

Pegar num livro é atestado de solidão. E se estiver acompanhado, sozinho estou na mesma. Só me ocorre rir!

4 comentários:

pinguim disse...

E que tal combinarmos um café, para ver se te faço compreender que o ridículo só está na tua cabeça?
Não sei se vives na região de Lisboa; se assim for, não hesites: os amigos são para as ocasiões.

Blog Liker disse...

Ai que eu tenho de dar um ralhete outra vez!

Mark disse...

Isso já me aconteceu tantas vezes com tantos livros... Por vezes, oscilamos entre o querer e o não querer. Mas não creio que pegar num livro seja um atestado de solidão. É um atestado de literacia, isso sim. :)

Fica bem. ^^

Pedro disse...

Pinguim - Mais uma vez te agradeço a disponibilidade, és muito simpático:) Prometo que acedo quando deixar de me sentir tão bicho do mato.

Blog Liker - :) não te quero cansar a ralhar comigo. Mas eu preciso mesmo de espelhar aqui o que me vai na alma.

Mark - (Twain) Acho que aquilo que escrevi vai talvez num outro comprimento de onda daquele que a tua resposta revelou. Mas concordo contigo, literacia sim, sempre:)